Blog

Qualificação de dissolutores sem uso de comprimidos – Normativa ASTM E2503-07

Qualificação de dissolutores | Como qualificar seus dissolutores sem o uso de comprimidos

Você sabia que a normatização ASTM E2503-07 descreve todos os procedimentos e critérios de aceitação para a calibração mecânica do seu dissolutor de formulações sólidas?

ASTM International (ASTM) American Society for Testing and Materials, é um órgão de normalização. A ASTM desenvolve e publica normas técnicas para uma ampla gama de materiais, produtos, sistemas e serviços.

NÃO REQUER O USO COMPRIMIDOS CALIBRADORES

ASTM E2503-07 – item 2.2 – Uma vez que uma unidade atende todas as especificações mecânicas incluídas nesta prática, é considerada calibrada e a calibração adicional com comprimidos de calibração de dissolução não é necessária”.

Desde a publicação desta normativa, muitos laboratórios farmacêuticos e fabricantes de instrumentos adotaram este padrão como prática de qualificação dos seus dissolutores. O FDA nos Estados Unidos, a agência oficial de regulamentação das indústrias farmacêuticas americanas, está alinhado com o ASTM, reconhece e recomenda esta normativa.

O processo de qualificação, para garantir que um aparelho de dissolução seja adequado para o uso pretendido, é um tema altamente discutido e controverso. Diferentes métodos de qualificação e adequação dos instrumentos foram propostos pelas farmacopeias e órgãos reguladores.

Em um esforço para harmonizar internacionalmente os requisitos de adequação do aparelho de dissolução, o Grupo de Interesse Especial de Dissolução / Liberação de Drogas (SIG) da Federação Internacional de Farmácias (FIP) revisou os requisitos atuais de adequação dos instrumentos listados nas farmacopeias dos EUA, da Europa e do Japão e da Conferência Internacional de Harmonização (ICH) Tópico Q4B sobre a harmonização dos métodos de farmacopeia, no seu Anexo 7, Teste Geral de Dissolvência. Além disso, o SIG analisou a Guia de Projeção da Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) para a Indústria, “O Uso da Calibração Mecânica de Aparelhos de Dissolução 1 e 2 Práticas de Fabricação Atuais (CGMP)” e o padrão ASTM E2503-07 relacionado.

Com base nesta revisão e em várias discussões aprofundadas, o SIG da Dissolução / Liberação de Drogas da FIP recomenda que a qualificação de um instrumento de teste de dissolução deve ser realizada seguindo os requisitos de calibração conforme indicado na orientação do FDA. Se for desejada informação adicional sobre o desempenho do sistema, pode ser realizado um teste de verificação de desempenho usando o padrão US Farmacopeia Reference Standard tablet ou um produto de referência interno estabelecido.

Qualquer requisito restrito no uso de um comprimido de teste de verificação de desempenho específico não é recomendado neste momento.

AAPS PharmSciTech. Sept 2009; 10(3): 924. Publicado online em 16 Jul. 2009. doi:  10.1208/s12249-009-9291-5 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2802143/

A dispensa do uso de comprimidos calibradores facilita a qualificação, reduz o custo envolvido na aquisição e importação deste tipo de insumo farmacêutico e ainda elimina muitos problemas apresentados por diferentes lotes produzidos por uma só instituição, uma só farmacopeia – apenas alguns fornecedores no Brasil podem comercializar e importar estes padrões. Outras Farmacopeias pelo mundo não fornecem este tipo de comprimido calibrador, logo não é descrito como “obrigatório” na sua aplicação.

INMETRO está alinhado com o ASTM

No Brasil, o INMETRO está alinhado com o ASTM e reconhece somente o procedimento de calibração mecânica para dissolutores; o ensaio com comprimidos calibradores foge do escopo dos princípios da metrologia, motivo pelo qual não encontramos nenhum laboratório reconhecido pelo Inmetro na prática da qualificação de performance em dissolutores. Está padronizado pela RBC somente os procedimentos de calibração mecânica, tal qual adotados pelo ASTM.

Um dissolutor não pode ser considerado um equipamento “analítico” que faz medições e/ou análises qualitativas ou quantitativas assim como um HPLC ou espectrofotômetro faz. Pelo contrário, o dissolutor é um instrumento de ensaio. A calibração mecânica é suficiente porque verifica todos os requisitos deste tipo de instrumento. Uma qualificação de performance realizada em um dissolutor, na verdade desafia o produto/comprimido e o laboratório, e não o equipamento. Portanto não podemos aplicar o mesmo raciocínio de uma qualificação de performance de HPLC, por exemplo.

Existem diversos estudos realizados por indústrias farmacêuticas que adotaram o padrão ASTM, alguns destes estudos foram publicados em revistas especializadas e ainda estão disponíveis na internet. Separamos um trecho a seguir:

RAZÕES PARA A MUDANÇA – GlaxoSmithKline

Um dos principais fatores para implementar essa mudança foi aumentar a confiança nos resultados produzidos pelo equipamento de dissolução. Acreditamos que os requisitos impostos pela abordagem EMC resultariam em melhor controle de nossos instrumentos. Nós sofremos por muito tempo questões usando o USP Performance Verification Test (PVT) como um meio para qualificar os equipamentos de dissolução que incluíam:

  • Super-sensibilidade dos comprimidos de Prednisona ao gás dissolvido no meio.
  • Especificações muito amplas que não são representativas se aplicados aos nossos produtos.
  • Mudança na especificação, às vezes devido a mudanças em um lote particular de comprimidos.

Alger Salt1, and John Glennon2

1 GlaxoSmithKline, Product Development Laboratory Automation and Platforms, 5 Moore Drive, Research Triangle Park, NC 27709, 2 GlaxoSmithKline, Global Manufacturing and Supply, Shared Stability Services 1011 | Arendell Ave., Zebulon, NC 27597 | Dissolution Technologies | MAY 2011

Vejar artigo na íntegra.

O Zay, laboratório BPL e parte do REBLAS, adota a normativa ASTM para a qualificação de todos os dissolutores. Um procedimento mais simples, rápido e objetivo, avalia o que realmente interessa, sem perda de tempo e dinheiro com padrões e comprimidos calibradores que, entre um lote e outro, costuma apresentar desvios de resultados, causando retestes desnecessários.

A Logan Instruments no Brasil desde 2001 e através da DCtech a partir de 2004, comercializa diversos tipos de equipamentos e serviços na área de dissolução. Estamos em processo de obtenção da ISO17025 com o objetivo de fazermos parte da rede Brasileira de Calibração de dissolutores e outros equipamentos de laboratório.  

O impacto da dispensa do uso dos comprimidos calibradores reduz nossa receita financeira na área de serviços de calibração de dissolutores, contudo, na DCtech buscamos a excelência e a coerência científica, o lucro ou a rentabilidade não estão acima destes princípios.

Acreditamos que se o Brasil ganhar na aplicação de procedimentos mais eficientes e baratos, todos nós ganharemos!

Figuras: Relatório de testes da qualificação segundo ASTM E2503-07

Qualificação de Dissolutores sem uso de comprimidos - Normativa ASTM E2503-07

Relatório de testes da qualificação segundo ASTM E2503-07 – pás

Qualificação de Dissolutores sem uso de comprimidos - Normativa ASTM E2503-07

Relatório de testes da qualificação segundo ASTM E2503-07 – Cesto

Artigos relacionados:

Dissolutores, Qualificação, Testes farmacêuticos